O Dia Internacional Contra a Homofobia é celebrado pelos times de futebol

Reconhecido internacionalmente como dia de luta contra a homofobia, a lesbofobia, a bifobia e a transfobia, o 17 de maio é de extrema importância para dar visibilidade às discussões que cercam o cotidiano da população LGBT. Foi neste dia, há 27 anos, que a Organização Mundial da Saúde (OMS) retirou a homossexualidade da Classificação Internacional de Doenças (CID).

Foi um marco histórico que reafirmou o direito das pessoas homossexuais e que deve ser comemorado. Para corroborar com uma conscientização civil sobre a importância da criminalização da homofobia, muitos clubes brasileiros usaram suas redes sociais para prestar solidariedade.

O Esporte Clube Bahia, um dos pioneiros nas ações, lançou uma coleção de camisetas com estampas sobre o viés e publicou em seu Twitter: “Vem aí a coleção #BahiaClubeDoPovo, com camisas pra abraçar a pluralidade de nossa torcida. Em homenagem à data da hoje, o Esquadrão lança a 1ª delas. O Dia Internacional de Combate à #LGBTfobia marca a extinção do termo “distúrbios de sexualidade” como doença na OMS. #BBMP”.

O Fluminense Football Club também se posicionou através de suas redes sociais: “Hoje, no Dia Mundial Contra a Homofobia, e em todos os outros dias, estaremos lado a lado com quem luta diariamente contra o preconceito. Sempre. #SomosFluminense #TimeDeTodos”.

Outro clube carioca a se manifestar foi o Flamengo que publicou: “O Flamengo é contra qualquer tipo de preconceito e, por isso, apoia o Dia Internacional contra a LGBTfobia”.

Assim como Flamengo e Fluminense o Vasco da gama também se manifestou através do Twitter: “Nós somos o clube da Igualdade e do Respeito”.

Para fechar a turma dos quatro grandes do Rio de Janeiro o Botafogo usou o Twitter para falar que reforça a luta pela conscientização: “O Botafogo reforça a luta pela conscientização contra qualquer tipo de preconceito e pede respeito com toda forma de amor”.

O América-MG que levará a campo uma bandeira contra o preconceito, na partida contra o Sport, no domingo (19), pela Série B do Campeonato Brasileiro. O clube postou no Twitter: “PELA DIVERSIDADE! No Dia Internacional contra a Homofobia, o #Coelhão levanta outra vez a bandeira da diversidade. Queremos respeito a todos, seja dentro ou fora do futebol. Neste fim de semana, vamos levar, literalmente, essa bandeira para o campo. #HomofobiaNão

O Grêmio, que teve a Coligay, uma torcida organizada de homossexuais entre o fim dos anos 70 e o começo dos 80, não deixou a data passar em branco e usou a mesma rede social para se colocar: “Dia Mundial contra a Homofobia, Bifobia e Transfobia. O sentimento nos une”.

Com o slogan “O futebol tem todas as cores”, o Náutico usou a internet para pedir tolerância: “Por princípio, deve ser um lugar de luta, mas de respeito às diferenças. Que a torcida de todos seja por um mundo com mais tolerância. #futebolderespeito”.

O Sport Club do Recife postou: “Por um Sport de todos”.

O Botafogo-PB adotou o lema “Belo é ter respeito” e publicou: “Somos todos alvinegros, mas hoje é dia de defender todas as cores”.

O Santa Cruz também utilizou seu Twitter para declarar: “Lutamos sempre juntos contra qualquer tipo de preconceito. #ClubeDoPovo #DiaInternacionalContraHomofobia”.

“Somos muitos. Somos plurais. Tolerância com o próximo. Somos todos seres humanos com direitos iguais”, defendeu o Fortaleza.

O Clube do Remo se posicionou contra ‘todo e qualquer tipo de preconceito e apoio na luta contra a homofobia”.

“O time do povo, o clube de todos” foi o slogan usado pelo Corinthians.

O pediu que se pregue a igualdade: “Por todas as formas de payxão. Pregue a igualdade você também!”. #Payxão #NãoAoPreconceito

O Santos disse #NãoAoPreconceito

O Figueirense exaltou a necessidade de se lutar pela liberdade: “Mais do que não ter medo, é lutar pela necessária liberdade. Mais do que receber respeito, batalhar pela necessária igualdade. 17 de maio – Dia Internacional Contra a Homofobia.

O Internacional dialogou com o questionamento do torcedor: “Sim. Ficamos em silêncio até agora. Para ver como o silêncio também pode repercutir, pode doer! Ouvimos vozes, clamores e questionamentos. E isso é estar presente na construção de uma sociedade plural. Sport Club Internacional – Desde 1909 quebrando o silêncio”.

O Bragantino aproveitou a data para dizer que é um clube de todos: “BRAAAAAGA! No Dia Internacional Contra a Homofobia (e nos outros 364 dias do ano), lembre-se de que o Braga é de todos. Respeite as diferenças e dê o exemplo nas arquibancadas: no tiro de meta adversário, encha o peito e grite BRAGA!!!!” #NãoAoPreconceito

O ABC salientou respeitar as diferenças: “Somos o Clube do Povo. Respeitamos as diferenças”. #NaoAHomofobia #NaoAoPreconceito #SomosTodosIguais

O Bangu lembrou ser o “Time de Todos”. #Timedopovo #Timedetodos

Além dos clubes a CBF – Confederação Brasileira de Futebol, também se manifestou: “No Brasil, atualmente, uma pessoa é morta a cada 16h como consequência de atitudes homofóbicas. No Dia Internacional contra a Homofobia, Transfobia e Bifobia, vestimos as cores do orgulho para lembrar que futebol não combina com violência e preconceito”. #HomofobiaMata #TodosIguais

Pode parecer pequeno, quase irrelevante, o mero posicionamento dos clubes nas Redes Sociais, mas é um passo gigantesco para os clubes de futebol acostumados com conviver com a cultura machista e preconceituosa. Afinal, dos 20 clubes da Série A somente 10 (metade deles) se manifestaram. Que seja o começo.

Um brinde à diversidade dentro das quatro linhas e fora delas!

Acesse e leia nossos “Relatório Anual da Discriminação Racial no Futebol” 201420152016, e 2017 com os casos de preconceito e discriminação no esporte brasileiro aqui

por: Carla Andrade

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *