Emmanuel Frimpong e o racismo: “São os homens brancos que mandam no futebol”

reprodução

Com apenas 27 anos, Emmanuel Frimpong colocou um ponto final na carreira devido às lesões. Em entrevista ao The Guardian, o ex-meio-campo recordou um episódio de racismo que foi vítima na Rússia e teceu algumas considerações sobre um problema que parece estar em voga no futebol.

“Ainda me lembro quando estava no Ufa e fui expulso por me ter revoltado contra os torcedores do Spartak que estavam a fazer barulhos de macacos contra mim. Na época levei dois jogos de suspensão e o presidente ainda veio me dizer para ver se me controlava e aprendia a engolir o sapo. É esta a realidade do futebol. São os homens brancos que mandam e que fazem decisões, eles que nunca sofreram de racismo e como tal não sabem agir perante esse fato. Multa-se um país por 10 mil euros… é só vergonhoso”, desabafou o ex-atleta da seleção ganesa.

Frimpong deu ainda uma ideia para solucionar o problema.

«Se querem mudar as coisas, é preciso criar comissões com pessoas de todas as raças e credos. Só, assim, com pessoas que já estiveram do outro lado é que vão mudar e alterar as coisas”, concluiu.

Acesse e leia nossos “Relatório Anual da Discriminação Racial no Futebol” 201420152016, e 2017 com os casos de preconceito e discriminação no esporte brasileiro aqui

Fonte: ABola

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *