Vítima há pouco tempo, Paulo Miranda eterniza na pele luta contra o racismo

Paulo Miranda mostra sua nova tatuagem (Foto: Arquivo Pessoal)

Vítima de injúria racial durante uma partida da Liga Europa há menos de um mês, Paulo Miranda, ex-São Paulo e que defende o RB Salzburg (da Áustria) atualmente, resolveu eternizar na pele a luta contra o racismo. Ele fez uma tatuagem no peito com os dizeres “Against Racism” (“contra o racismo”, em inglês).

No dia 17 de agosto, na vitória do RB Salzburg por 3 a 1 sobre o Viitorul, da Romênia, Paulo Miranda diz ter sido chamado de macaco pelos torcedores da casa. Eles também teriam feito gestos de banana. O jogo foi válido pelos playoffs da Liga Europa, e o time do brasileiro se classificou para a fase de grupos – está no Grupo I ao lado de Olympique de Marselha, Konyaspor e Vitória de Guimarães.

– Fico muito triste pelo o que aconteceu. Nunca tinha passado por isso. Viajei vários países aqui na Europa jogando, e nada. Na Romênia foi diferente. A torcida imitando macaco, banana e me xingando. E ninguém tomou providência de nada. Os seguranças da partida nada fizeram. Foi muito triste. Uma lembrança terrível. Não se pode acontecer isso. E não foi um ou outro, foram vários torcedores – disse ele na ocasião.

O RB Salzburg aderiu à campanha e produziu um vídeo curto protagonizado pelo brasileiro, como pode ser visto em suas redes sociais. O objetivo nada mais é que reforçar o coro anti-racismo.

Aos 29 anos, Paulo Miranda foi revelado em 2008 pelo Desportivo Brasil e tem no currículo passagens por Palmeiras, Oeste e Bahia. Entre 2012 e 2015, se destacou com a camisa do São Paulo. Ele defende o RB Salzburg há dois anos.

Acesse e leia nossos “Relatório Anual da Discriminação Racial no Futebol” 2014 e 2015, com os casos de preconceito e discriminação no esporte brasileiro aqui

Fonte: GloboEsporte

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *