Torcedor do Nacional pede desculpas à Chape e ao Brasil após ironizar acidente

Nicolás Correa afirmou que se arrependeu por ter prejudicado o clube que torce e que sua família teme por sua segurança, já que recebeu ameaças

Reprodução: Torcedor do Nacional, Nicolás Correa, pediu desculpas após imitar um avião em partida contra a Chape

O torcedor do Nacional do Uruguai, que imitou um avião em alusão à tragédia aérea que matou 71 pessoas entre profissionais da Chapecoense e jornalistas, Nicolás Correa , durante a partida entre os dois times pela fase premilimar da Copa Libertadores, na Arena Condá, na última semana, pediu desculpas ao Brasil e aos clubes pelo gesto.

“Quero pedir desculpas ao povo do Brasil, à Chapecoense e ao Nacional, que é minha vida e fiz um mal. Estamos totalmente arrependidos, tanto eu como o outro rapaz no vídeo. Tenho um sentimento de arrependimento porque prejudicamos o clube e estamos esperando uma punição”, afirmou o torcedor em entrevista à rádio uruguaia Sport 890 .

A punição em questão que o torcedor fala é para o clube qual torce. Isso porque o Nacional será julgado pela Conmebol um dia depois do confronto de volta, marcado para esta quarta-feira. A Chapecoense pediu a exclusão do time uruguaio da competição. Correa, por sua vez, foi banido do estádio do time e excluído do quadro de sócios.

Ameaças
De acordo com o que Correa falou na entrevista, o clima na Arena Condá estava “mais pesado” do que quando as duas equipes se enfrentaram pela Copa Libertadores de 2017. Esta foi a justificativa que ele utilizou para imitar um avião para provocar a torcida adversária, que também estava insultando os adeptos do time uruguaio.

Além disso, Correa afirmou que seus familiares temem por sua segurança. “Acredito que houve uma condenação social, porque se você sai a roubar, matar ou estuprar, não te condenam como a mim. Recebi ameaças”, acrescentou.

Para seguir na Copa Libertadores, a Chapecoense precisará reverter, fora de casa, a derrota por 1 a 0 que sofreu na ida, no último dia 31. O torcedor, banido pelo gesto imbecil, não estará no estádio.

Acesse e leia nossos “Relatório Anual da Discriminação Racial no Futebol” 20142015 e 2016, com os casos de preconceito e discriminação no esporte brasileiro aqui.

Fonte: Esporte IG

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *