Por declaração polêmica, zagueiro croata Vida é advertido pela Fifa

Vida marcou um dos gols da Croácia contra a Rússia (Foto: Nelson Almeida/AFP)

A comemoração do croata Domagoj Vida após a classificação da Croácia para a semifinal da Copa do Mundo rendeu ao zagueiro uma advertência formal da Fifa. Por um vídeo vazado nas redes sociais, onde dedica o triunfo ao povo da Ucrânia, o zagueiro está sendo investigado pela entidade máxima do futebol e corre o risco de ser punido até mesmo com a perda de jogos.

Desde 2014, Rússia e Ucrânia vivem uma crise política decorrente de questões territoriais e após a partida o zagueiro gravou um vídeo, divulgado no Instagram do ex-jogador e atual membro da comissão técnica, Ognjen Vukojevic, onde ambos gritavam “Glória a Ucrânia”. A Fifa já avisou que está investigando as imagens para decidir sobre a aplicação de punições ao atleta.

“A Comissão Disciplinar da Fifa enviou uma advertência a Domagoj Vida por sua declaração filmada”, indicou um porta-voz da organização futebolística a AFP.

A frase dita por ambos os atletas (“Glória à Ucrânia!”) faz referência ao slogan da revolução pró-europeia que levou à destituição do presidente ucraniano pró-Rússia Viktor Yanukovich em 2014 e a uma enorme crise na relação entre os dois países. Após o fato envolvendo o zagueiro croata, parlamentares russos pediram à Fifa duras sanções contra a seleção classificada à semifinal.

“Atos assim deveriam ser punidos”, declarou Dmitry Svischyov, membro do comitê parlamentar sobre Esporte, à agência oficial RIA Novosti. “Os lemas políticos, nacionalistas e racistas não são bem-vindos na Copa”, disse.

Diante da grande repercussão, Vida se manifestou frente à imprensa ressaltando não ter tido a intenção de atacar o país anfitrião do Mundial. “Adoro o povo russo, era só uma brincadeira”, afirmou o zagueiro, que teve seu discurso corroborado pela Federação Croata em um comunicado oficial.

“Não era absolutamente nada político, só uma simples mensagem de agradecimento pelo apoio que recebemos da Ucrânia, onde Vukojevic e eu passo vivemos vários anos. Espero sinceramente que a mensagem seja interpretada como uma expressão de gratidão com nossos amigos da Ucrânia por seu apoio, não apenas na partida contra a Rússia, mas durante todo o Mundial”, continuou.

No entanto, a Federação Croata detalhou que que pediu a Vida e a Vukojevic, “assim como aos outros jogadores da seleção, que se abstenham no futuro de qualquer mensagem que possa ser interpretada politicamente”, ressaltou.

Acesse e leia nossos “Relatório Anual da Discriminação Racial no Futebol” 20142015 e 2016, com os casos de preconceito e discriminação no esporte brasileiro aqui

Fonte: GazetaEsportiva

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *