Mulher trans vence homem em estreia no MMA: “Pra calar preconceituosos”

Anne Viriato chegou a ouvir um canto homofóbico durante combate, que teve “ares de luta do século”, mas também recebeu apoio e, no final, venceu homem por decisão dos juízes

Mulher trans estreia no MMA profissional com triunfo: “Pra calar preconceituosos”

A primeira mulher transexual a realizar uma luta de MMA profissionalmente no Brasil venceu o duelo, na noite deste sábado, no Mr. Cage 34, evento realizado em Manaus. Apesar de ser um combate entre dois estreantes, o clima foi de “luta do século”, com grande atenção da mídia, do público e da próprio organização, que colocou o embate no card principal. Veja os melhores momentos da luta no vídeo.

Com a decisão nas mãos dos juízes, que não tinham dado nenhuma decisão dividida ao longo da noite, Anne Viriato foi declarada vencedora e pela primeira vez na noite desabou, mas de cansaço e alívio. Muito machucada, a lutadora trans precisou receber o serviço de primeiros socorros e não conversou com a imprensa após a luta, mas os preconceituosos que ainda fizeram questão de aparecer receberam uma resposta.

– Essa vitória é para calar a boca de muitos preconceituosos e acabar com o preconceito – desabafou.

Anne Viriato venceu por decisão unânime dos juízes (Foto: Winnetou Almeida/Mr. Cage)

O adversário de Anne, Railson Paixão, que veio do munícipio de Coari, no interior do estado em busca de uma chance no MMA profissional, discordou do resultado, mas levou na esportiva.

– A luta foi como eu sempre disse: de igual para igual. Não existe isso de trans, nem nada. Ela nasceu homem e vai ser sempre um homem. Tem uma mão dura, pesada e o chão dela é forte. Na minha opinião, eu levei dois rounds. No último ela ficou enrolando com aquele triângulo, mas ela nunca ia me finalizar ali – disse.

Para a treinadora de Anne, Andrea Mc Comb, a reposta dentro do octógono já teria sido mais que o suficiente.

– Ela teve pouco tempo para se preparar para essa luta, mas foi lá e mostrou que veio pra vencer o preconceito das pessoas. Foram várias piadinhas – resumiu.

A luta
Foram três rounds de uma luta tecnicamente fraca, como era de se esperar, pelo fato de ser a estreia de ambos os lutadores no mundo do MMA profissional. Vontade não faltou e os estilos de cada um ficaram muito bem delimitados desde o início.

Ágil e preciso, Railson Paixão buscou a trocação logo de início, onde levou vantagem. Se conseguir responder à altura, Anne Viriato levou o combate para sua especialidade o Jiu-Jitsu, onde tentou por três rounds inteiros uma finalização que acabou não vindo, apesar de ótimas oportunidades criadas.

Durante a luta, um cântico homofóbico vindo de parte da torcida presente irritou Anne, que fez questão de mostrar sua insatisfação com o episódio. Mas rapidamente a maioria que prestigiava o evento abafou o grupo com cantos de incentivo à lutadora.

No fim, Anne e Railson fizeram uma luta bastante equilibrada, com o lutador encaixando bons golpes na trocação e a atleta neutralizando o poderio adversário com suas técnicas de grappling.

Anne Viriato apostou o Jiu-Jitsu para tentar uma finalização (Foto: Marcos Dantas)

Acesse e leia nossos “Relatório Anual da Discriminação Racial no Futebol” 20142015 e 2016, com os casos de preconceito e discriminação no esporte brasileiro aqui.

Fonte: Globo Esporte

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *