FIFASobre Racismo a FIFA reconhece a sua responsabilidade nos esforços para acabar com todas as formas de preconceito no futebol, como descrito no Artigo 3 do seu estatuto.

A discriminação de qualquer tipo contra um país, uma pessoa ou grupos de pessoas por causa da raça, cor da pele, etnia, origem social, gênero, língua, religião, opinião política ou qualquer outra opinião, saúde, local de nascimento ou qualquer estatuto, orientação sexual ou qualquer outra razão é estritamente proibida e passível de punição por suspensão ou expulsão”.

Código de Ética da FIFA, Art. 23:

Pessoas vinculadas por este Código não podem ofender a dignidade ou a integridade de um país, pessoa privada ou grupo de pessoas por meio desprezo, palavras ou ações discriminatórias […] em virtude da raça, cor da pele, origem étnica, nacional ou social, sexo, língua, religião, opinião política ou qualquer outra condição, orientação sexual ou qualquer outro motivo.

Código Disciplinar da FIFA deve ser observado em todos os jogos e competições organizados não apenas pela própria FIFA, mas também por todas as federações e por todos os respectivos membros, entre clubes, dirigentes, jogadores, árbitros e todas as outras pessoas aceitas pela FIFA em um jogo ou competição, inclusive os espectadores, que podem fazer com que seu time ou seleção seja punido e até mesmo afastado das competições caso se manifestem de forma racista ou discriminatória.

A partir de 2013, uma nova resolução aprovada pelo Comitê Executivo da FIA decidiu que um clube acusado de racismo pode ser excluído de competição ou rebaixado de divisão.

Todas essa mobilização e o rigor das punições não é por acaso. Diversos casos de racismo envolvendo o futebol, dentro e fora de campo, têm sido registrados nos últimos anos, apesar de todo o esforço para coibir essa prática vergonhosa.