Federação Inglesa acusada de impor limite de jogadores negros na seleção

Graham Taylor com Eriksson e Fabio Capello no funeral de Bobby Robson • Graham Taylor com Eriksson e Fabio Capello no funeral de Bobby Robson. • OWEN HUMPHREYS / POOL / AFP

A Federação inglesa voltou a ser envolvida num caso de racismo com as revelações do ex-selecionador inglês, Graham Taylor, publicadas num novo livro sobre racismo no desporto, intitulado ‘Pitch Black’, em que o técnico revela, ´pressões´para não convocar ‘demasiados’ jogadores negros na década de noventa.

A passagem de Graham Taylor na seleção de Inglaterra na década de noventa continua dar o que falar no Reino Unido. Segundo o jornal inglês ‘The Guardia’, o antigo treinador inglês, Graham Taylor, revelou a Emy Onoura, autor do livro, que na época em que era o treinador da seleção inglesa foi abordado por dois elementos da Federação Inglesa com o intuito de ‘não ultrapassar os limites’ em relação ao número de jogadores negros que deveria utilizar na seleção.

Segundo o autor do livro, o técnico inglês revelou-lhe ainda que os dirigentes da FA (Football Association) lhe passaram a mensagem de que a seleção inglesa deveria ser mantida predominantemente por jogadores da raça branca.

Perante a polêmica, Graham Taylor já veio a público desmentir as revelações publicadas no livro de Emy Omoura, e garantir ao jornal The Independent que os fatos relatados pelo autor do livro ‘simplesmente não aconteceram’.

Acesse e leia nossos “Relatório Anual da Discriminação Racial no Futebol” 20142015 e 2016, com os casos de preconceito e discriminação no esporte brasileiro aqui

Fonte: SapoDesporto

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *