Jomar recebeu camisa personalizada do projeto durante lançamento de relatório Foto: Paulo Fernandes/Vasco / LANCE!

Jomar recebeu camisa personalizada do projeto durante lançamento de relatório
Foto: Paulo Fernandes/Vasco / LANCE!

Na última segunda-feira, 10 de outubro de 2016, foi realizado em São Januário, sede do Club de Regatas Vasco da Gama o lançamento do Relatório Anual da Discriminação Racial no Futebol 2015, documento que apresenta um análise sistêmica dos casos de racismo no ocorreram no futebol brasileiro em 2015. O evento contou com a participação de Maurício Corrêa da Veiga, diretor jurídico do Vasco, Felipe Belivacqua, procurador do STJ, presidente Eurico Miranda e Luiz Manoel Fernandes, presidente do Conselho Deliberativo.

Nas diversas notícias que saíram nos veículos de comunicação você vai encontrar mais detalhes sobre o evento, aqui gostaríamos de agradecer a todos que de alguma forma ajudaram o Observatório na elaboração do Relatório 2015 e na promoção de tão grandioso evento.

Sobre o Relatório 2015 a novidade deste ano é que o Relatório não apresenta apenas os casos de racismo no futebol, nele também estão presentes relatos de outros tipo de preconceito e em outros esportes. Outra novidade importante é a análise dos dados sistêmicos por Edilson Nabarro, sociólogo e diretor da Coordenadoria de Ação Afirmativa da UFRGS, reconhecido pela luta em defesa da diversidade. Talvez o mais correto fosse chamarmos de Relatório Anual do Preconceito e da Discriminação no Esporte Brasileiro 2015 – e com Atletas Brasileiros no Exterior, mas decidimos manter o nome.

Falar sobre racismo, essa chaga que macula nossa sociedade, no Brasil é muito difícil ou espaços na mídia são sempre pequeno para discussão do tema e sempre aparece alguém para descontruir a luta alegando que no país vivemos a tal “Democracia Racial”, por esse motivo que consideramos o evento que ocorreu em parceria com o Vasco da Gama um sucesso, afinal o tema continua repercutido na mídia de todo o Brasil e não é difícil encontrar entidades se manifestando a respeito dos dados divulgados.

Quem sabe dessa vez assumindo que o racismo existe e é um problema vamos evoluir?

Afina, outra grande repercussão do evento foi a presença do procurador-geral do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), Felipe Belivacqua que em público fez a promessa ao Observatório de estabelecer um canal de comunicação onde será possível o encaminhamento de incidentes, mesmo que estes sejam de responsabilidade dos tribunais regionais.

Nosso muito obrigado ao Vasco da Gama, clube de tão significativa história na luta contra o racismo, ao Maurício Corrêa da Veiga, Eurico Miranda e Luiz Manoel Fernandes. A ESEFID (UFRGS) – Edilson Nabarro, Clézio Gonçalves e Ricardo Petersen. Ao SIAPERGS (Sindicato dos Atletas Profissionais no Estado do Rio Grande do Sul) – Paulo Mocelin. A Desenhorama – Deivy e a Football Capital – Rogério Braun.

Acesse e leia nosso Relatório Anual da Discriminação Racial no Futebol 2015, com os casos de preconceito e discriminação no esporte brasileiro em 2015

Acesse aqui as notícias veiculadas na mídia a respeito do evento e do Relatório 2015.