Participações Archive

O projeto “Observatório da Discriminação Racial no Futebol” luta contra a discriminação no esporte

O racismo é um problema antigo na nossa sociedade, e que também atinge o futebol.

Clubes marcam golaço fora de campo

Times de futebol estão cada vez mais engajados em questões sociais que extrapolam as quatro linhas.

Pelo fim dos gritos preconceituosos

Não trate homofobia, machismo, racismo nos estádios como uma simples brincadeira.

O amor ao clube não é justificativa para passar por cima do respeito ao próximo

"Aquele incidente era a prova cabal que o racismo ainda vai continuar existindo..."

Os campos e a cor. Um caso de racismo por semana no futebol brasileiro em 2017

Um caso de racismo por semana no futebol brasileiro em 2017.

Até quando essa estranha mania da sociedade em condenar a vítima e arrumar desculpa ao opressor?

O racismo no Brasil se caracteriza pela covardia.

GEFuT e museu do Mineirão organizam palestras sobre “Silêncios no Futebol”

“Museu e Histórias Controversas – dizer o indizível em museus”.

Queda em 2016, recorde no início de 2017: racismo volta a assolar o futebol brasileiro

Em quatro meses, foram contabilizados 17 casos no Brasil; número corresponde a 85% do total registrado

O problema não é dos outros. É de todos. É nosso!

Se queremos um mundo melhor, um futebol sem racismo, precisamos mudar.

Da Liga da Canela Preta ao jogar das bananas

Mesmo após tantos anos, a sociedade ainda não evoluiu o suficiente para deixar de praticar racismo.

Gremista chama torcedores do Inter de macaco e gera revolta em cidade do RS

O vídeo circulou pelas redes sociais, gerando revolta no Rio Grande do Sul.

A voz ativa do Observatório da Discriminação Racial no Futebol contra o preconceito

Marcelo Carvalho, responsável pelo Observatório, nos contou sobre seu trabalho.

Direito Desportivo passa por período de ebulição e de mudança de paradigma

No intuito de demonstrar dados objetivos e concretos o Observatório lançou seu Relatório 2015.

Entrevista na Rádio Gaúcha

Atos racistas e atitudes preconceituosas representam um sério retrocesso a democratização do esporte.