Benfica pode vir a ter mais jogos a porta fechada. Setúbal, Guimarães e Feirense também arriscam castigo

Adeptos do Benfica celebram a vitória frente ao Feirense @JOSE COELHO/LUSA © 2018 LUSA – Agência de Notícias de Portugal, S.A.

Mais quatro clubes da Primeira Liga podem vir a ser punidos com jogos a porta fechada, na sequência do mau comportamento dos seus adeptos. No relatório do Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol divulgado esta quinta-feira, é explicado que foram abertos cinco processos disciplinares, sendo que dois dizem respeito ao Vitória de Guimarães e os outros ao Benfica, Vitória de Setúbal e Feirense.

Os processos estão agora sob investigação da Comissão de Instrutores (CI) da Liga.

No caso do Benfica, o processo resulta de uma queixa apresentada pelo Sporting em abril de 2017, onde os ‘leões’ acusam o seu rival de não terem as claques registadas o que, no entendimento do Sporting, resulta numa violação do artigo 118 do Regulamento Disciplinar. A violação desta estabelece penas de um a três jogos à porta fechada para casos em que “os clubes deixem de cumprir os deveres que lhes são impostos pelos regulamentos e demais legislação desportiva aplicável de modo que dessa sua conduta resulte, ainda que não intencionalmente, a criação de uma situação de perigo para a segurança dos agentes desportivos ou dos espectadores de um jogo oficial”.

Já no caso do Vitória de Setúbal diz respeito a um jogo com o FC Porto no Bonfim, disputado em outubro de 2016. Este é o caso mais antigo de todos. Os sadinos são acusados de de sobrelotação do recinto, cuja pena pode ir também de um a três jogos à porta fechada.

O Vitória de Guimarães é outro clube visado pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol. Os ‘conquistadores’ respondem por dois processos relativos a 2017, um na receção ao Benfica em novembro onde os adeptos locais são acusados de atos racistas. Este tipo de casos está tipificado no artigo 113 do Regulamento Disciplinar 2017/18, que explica que “os clubes que promovam, consintam ou tolerem a exibição de faixas, o cântico de slogans racistas ou, em geral, com quaisquer comportamentos que atentem contra a dignidade humana em função da raça, língua, religião ou origem étnica serão punidos com a sanção de realização de jogos à porta fechada a fixar entre o mínimo de um e o máximo de três jogos”.

E, por último, o Feirense. Os ‘fogaceiros’ são acusados de comportamento incorreto e discriminatório dos adeptos num jogo frente ao Boavista, referente à temporada 2017/2018. Aqui também foi violado o artigo 113 do Regulamento Disciplinar, pelo que o Feirense a arrisca também a pena de um a três jogos à porta fechada.

Já esta quarta-feira, Benfica, Paços Ferreira e SC Braga tinham sido punidos com um jogo a porta fechada pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol. Estas decisões do Conselho de Disciplina surgem na sequência de processos disciplinares abertos na época passada e depois de a Comissão de Instrutores da Liga ter analisado e pronunciado sobre os mesmos. Os três clubes acabaram por ser punidos com a pena mínima.

Neste caso, Benfica e SC Braga admitiram que iriam recorrer dos castigos, o Paços de Ferreira, que está na II Liga, ainda estava a estudar que medidas tomar.

Para o Benfica é o terceiro castigo à porta fechada esta época. De recordar que os ‘encarnados’ já tinham sido punidos com um jogo a porta fechada pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ) pelo apoio a claques ilegais mas apresentaram recurso da decisão, recurso esse que acabou por deixar a decisão em suspenso.

Acesse e leia nossos “Relatório Anual da Discriminação Racial no Futebol” 20142015 e 2016, com os casos de preconceito e discriminação no esporte brasileiro aqui.

Fonte: Sapo Desporto

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *